• Mariana do Vale

O que carrego são ovos

O que carrego são ovos [2020]

Videoperformance

Cor, stereo, 16x9 4’45”



“Quando eu era antiga fui depositária do ovo e caminhei de leve para não entornar o silêncio do ovo. Quando morri, tiraram de mim o ovo com cuidado. Ainda estava vivo.”

Parece, Clarice, que em mim quem morreu foi o ovo.


Os ovos.


Fui eu quem os matei?







De tão diminutos, uma mulher menopausada pode perder dentro de si os ovários. E se já não os encontram, talvez esteja ela livre da servidão de femêa [Simone]. Pode ser qualquer outra coisa. O que mais pode ser uma mulher?