• Rafaela Jemmene

FRAGMENTOS E MESCLAS - UMA LEITURA ATIVA

Os fragmentos de textos foram cada dia mais aparecendo em meus trabalhos. Eu com a vontade de a dialogar com o conteúdo e também a partir dele construir, elaborar um conteúdo novo que surge da polifonia da mistura de vozes e ideias, e isso me interessa como material para realização de alguns trabalhos.


A apropriação […]. Corresponde ao ato de apropriar-se de uma imagem, de um texto ou da obra de outro autor, confiscando seu significado, esvaziando-o de seu conteúdo inicial e sobrepondo a uma nova autoria, às autorias originais. A citação também corresponde ao ato de apoderar-se de coisas alheias. Seu método, porém, pressupõe a referencia à fonte original. (Ana Pato).



Reciclagem------Reaproveitamento-------Remixagem------Transfiguração



A citação não tem sentido em si, porque ela só se realiza em um trabalho, que a desloca e a faz agir […] ela não tem sentido fora da força que a move, que se apodera dela, a explora e a incorpora. O sentido da citação depende do campo das forças atuantes ele é essencialmente variável.(Antoine Compagnon)


[…] o ato de citar assume características da apropriação e torna-se uma estratégia para perverter, reduzir ou agigantar o original. (Ana Pato).


autor-montador------deslocador--------manipulador-------auto-curador


Tenho o hábito ou talvez vício, não sei ainda, de colecionar fragmentos de textos em meu cadernos de anotações, os quais chamo de maneira carinhosa de Cadernos de Percurso. Desta coleta de fragmentos textuais se iniciou o meu trabalho poético de escrita a partir de apropriação textual. A polifonia, a mescla de vozes e saberes. Pratico uma leitura comprometida com o conteúdo do texto, seria uma leitura ativa, na qual ao ler também já modifico o texto, quando leio preencho as lacunas, crio as imagens, reelaboro os conteúdos. Associo conteúdos díspares, mas que penso fazerem todo sentido juntos. E assim, leio, releio, escrevo e reescrevo, misturando fragmentos de diversos autores, com conteúdos já escritos por mim. Recriando uma biblioteca de fragmentos.